Snoop Dogg ataca Donald Trump por seu tempo de resposta e reação ao Coronavirus.

39
0

O rapper da musica “I C Your Bullsh*t” aponta que o presidente disse em janeiro que não estava preocupado com uma pandemia.

Snoop Dogg teve seu pé no pescoço de Donald Trump durante toda a sua presidência. O D-O-DOUBLE-G é um dos críticos mais falados das celebridades do POTUS.

Ontem, Snoop mais uma vez explodiu o maldito Trump no Twitter. Desta vez, ele chamou a atenção do Trump apresentador de reality que virou político, para sua resposta altamente criticada ao surto de COVID-19 nos Estados Unidos.

Snoop postou um pequeno vídeo que apresentou seu vídeo musical “I C Your Bullsh*t” recentemente lançado, editado junto com clipes das declarações contraditórias de Trump sobre a pandemia. O rapper de 48 anos adicionou os hashtags #coronavirusliar e #icurbullshit ao tweet.

Em 2017, o Snoop Dogg enfrentou um boycott por uma cena no vídeo de uma de suas musica “Lavender” do BADBADNOTGOOD, que retratava o ícone da Costa Oeste fingindo disparar uma pistola a Trump. O presidente realmente respondeu ao vídeo tweetando “tempo de ir para prisão”.

Mais tarde, Snoop fez um outro Tweet para Donald Trump. Ele disse durante uma entrevista: “Foda-se”. Eu falo na cara dura. Se você gostas do [Trump,] és um racista de merda. Foda-se você e foda-se ele. E Agora, o quê?”

A aprovação do Trump no tratamento do coronavírus caiu para 47,4% na mais recente média das sondagens da RealClearPolitics. Quase 50% do público americano desaprova a forma como o presidente administrou a crise em todo o país. A aprovação geral do seu cargo fica em 45,7%, e ele segue o democrata Joe Biden por 5 pontos percentuais nas pesquisas eleitorais gerais nacionais para 2020.

Os veículos de notícias divulgaram vídeos mostrando como as declarações públicas iniciais de Trump sobre o coronavírus baixaram a gravidade da situação, apesar de e-mails internos sugerirem que a administração Trump estava totalmente ciente da ameaça pandêmica por meses. Até o momento da imprensa, mais de 678.000 pessoas nos EUA deram positivo no teste COVID-19 e mais de 34.000 pessoas morreram da doença infecciosa.

As empresas de todo o país foram forçadas a fechar e milhões de trabalhadores foram demitidos ou despedidos durante este período de incerteza econômica. Cerca de 22 milhões de pessoas, cerca de 13,5% da força de trabalho dos Estados Unidos, solicitaram o subsídio de desemprego nas últimas quatro semanas.

Comentários pelo Facebook